Porque Realizar com Periodicidade a Manutenção de Bombas Submersas

Manutenção de bombas submersas, porque fazer com periodicidade.

Porque Realizar com Periodicidade a Manutenção de Bombas Submersas

Porque Realizar com Periodicidade a Manutenção de Bombas Submersas

Ter um equipamento com durabilidade prolongada é, sem dúvida, a melhor opção para um funcionamento eficiente, além de ter um baixo custo na manutenção e mitigar possíveis trocas de peças, por isso, é de suma importância realizar com periodicidade a manutenção de bombas submersas. Assim, mantendo por exemplo, seu poço artesiano com a operacionalidade em dia e, certamente, não irá te deixar na mão quando precisar fazer uso.

Composta pelo motor e pela bomba, formando um único corpo e trabalhando completamente submersa (opera pressionando, ao invés de puxar o líquido) durante o processo de bombeamento. Por essa razão, é essencial ter regularidade na manutenção por uma empresa especializada, pois caso o projeto não esteja adequado dessa forma pode vir a queimar e o gasto será ainda maior, sendo necessário a troca da bomba submersível.

Normalmente o técnico qualificado para inspecionar irá verificar as partes hidráulicas e elétricas do equipamento, e se necessário, recomendar a lubrificação e a troca de componentes. Podendo assim, oferecer soluções rápidas e práticas, através do uso de tecnologias existentes no mercado e agindo de maneira eficaz, por meio de análises durante a performance do equipamento instalado.

Também devemos considerar importante e não podemos nos esquecer durante a instalação, de consultar um profissional para calcular a capacidade ideal da bomba. Porque o desgaste ocasionado pelo mal uso contínuo da bomba, acaba prejudicando o desempenho e acarretando em graves consequências para sua vida útil. Outro motivo que causa preocupação está relacionado a má instalação do equipamento, gerando problemas futuros.

É altamente recomendável para bombeadores: utilizados esporadicamente quanto para os utilizados diariamente, por amplos períodos de tempo ou com intervalos mínimos. Por isso, é primordial buscar manutenção para os bombeadores o quanto antes para evitar possíveis danos ou paralisações das atividades.

Veja abaixo os cinco defeitos mais comuns das bombas, as causas prováveis e como corrigir, segundo o Manual de Operação e Manutenção de Poços, do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo):

⦁ Bomba funciona mas não extrai água

Causas prováveis: A bomba e a tubulação não estão cheias de água; motor com rotação insuficiente; a bomba está girando ao contrário e entrada de ar na tubulação ou na carcaça.

Como corrigir: Escovar a bomba.

⦁ Bomba fornece vazão inferior

Causas prováveis: Entrada de ar pela sucção; rotação do motor abaixo do normal; rotor e válvula de pé parcialmente entupidos e rotor gasto ou danificado.

Como corrigir: Vedar as conexões; controlar tensão da corrente; desobstruir o rotor ou a válvula de pé e substituir rotor.

⦁ Bomba perde escovamento depois da partida

Causas prováveis: Entrada de ar na sucção, presença de ar na água e entrada de ar pela gaxeta.

Como corrigir: Vedar as conexões, usar bomba auto escorvante e recolocar selo mecânico ou anéis.

⦁ Bomba sobrecarrega o motor

Causas prováveis: Rotação acima do normal; altura manométrica total inferior ao previsto e vazão superior à capacidade e atrito mecânico na bomba.

Como corrigir: Ajustar a tensão; reduzir e controlar por meio de registro e desmontar e revisar peças

⦁ Bomba Vibra

Causas prováveis: Base de assentamento mal feita, sem rigidez e bomba mal alinhada.

Como corrigir: Consertar a base e desmontar a bomba.

Por conta da alta demanda de utilização de bombas e do impulsionamento do uso de água subterrânea, a periodicidade se torna crucial para quem utiliza e depende de poços artesianos. Não deixe de consultar uma empresa com profissionais autorizados pelas principais marcas no setor de bombas para executar este serviço.